Sob a Redoma [Under the Dome]

Título: Sob a Redoma
Título original: Under the Dome
Autor: Stephen King
Ano de publicação: 2009 (no Brasil, 2012)
País de origem: Estados Unidos
Editora: Simon & Schuster – 1309 páginas (no Brasil publicado pela Suma das Letras – 960 páginas)

Numa manhã de outubro, a cidade do interior do Maine de Chester’s Mill é isolada do restante do mundo: uma barreira de energia sinistra parece ter encobrido a cidade. De repente, ninguém entra e ninguém. Caos se instaura. Estado de exceção. Como sobreviver a uma situação dessa?

Sou fã do mestre King e assim que ouvi falar desse livro fiquei louca pra ler. Foi minha última leitura de 2012 e posso dizer que foi uma experiência bem intensa. Tanto pelo tamanho do livro, tanto quanto pela história em si. Sinceramente acho que o livro poderia ter umas boas quatrocentas páginas a menos; não por preguiça da minha parte, mas porque tem horas que é muita enrolação (essa é minha única reclamação a respeito do King). No entanto, a trama é muito boa.


Em Sob a Redoma, King faz o que faz de melhor: criar personagens inesquecíveis. Dentre eles temos Dale Barbara, um ex-oficial do exército, que ficou a alguns metros de sair da cidade antes que redoma baixasse e o deixasse preso lá. Juntamente com a jornalista republicana Julia Shumway, a dona do bar Rosie e um bando de crianças geeks entrando na puberdade, ele vai tentar impor alguma sanidade numa cidade tomada pelo caos.

Esse caos que foi aumentado por Big Jim, o político local que esconde alguns segredos tenebrosos e está usando a redoma para controlar a cidade de acordo com seus próprios interesses. E controlar a cidade não é difícil, afinal, a situação é tensa: não tem energia elétrica – a fonte de energia agora é gás propano mas este anda em falta na cidade, inclusive no hospital. Em breve, a comida vai acabar, então todos entram numa corrida furiosa para o mercado. A fim de aumentar a segurança (ou assim ele diz), Big Jim cria uma nova polícia com os jovens delinquentes da cidade, todos amigos de seu filho Junior, conhecido por ser absurdamente agressivo.

Capa brasileira.

E o leitor é levado nessa onda de caos, acompanhando os vários moradores de Chester’s Mill (pois um dos pontos altos do livro são os vários narradores da historia) enquanto a cidade vai se deteriorando em violência, miséria e mesquinharia. Quando as crianças da cidade começam a ter ataques paranormais prevendo que algo vai acontecer perto do Halloween, o leitor já está nas mãos de King e vai devorando Sob a Redoma até chegar ao seu final catastroficamente surpreendente.

O volume mistura bem elementos causados pelo caos humano e pelo paranormal. Porque a pergunta que fica é: o que é essa redoma? Quem a criou? Como ela funciona? E a pergunta mais terrível de todas: será que algum dia ela vai embora? A partir de um evento fantasioso e paranormal, Stephen King consegue refletir sobre a natureza humana e sobre nossa capacidade de nos ajudarmos e de sermos cruéis em momentos de crise. O livro tem cenas fortíssimas e muito violentas, então leitores com estômago fraco ou muito novinhos, fiquem longe.

Sob a Redoma é muito recomendado para quem gosta de King, mas também para quem gosta de histórias com esse quê de estado de exceção e catástrofe. Minha única restrição ao livro é mesmo a enrolação lá pelo meio. A impressão que eu tive é que algumas passagens poderiam ter sido encurtadas e as guinadas da histórias, mais objetivas. Ficou um tanto quanto prolixo. Ah, e lembre-se: é um livro do Stephen King, então não espere uma história fechadinha no final onde tudo se encaixa perfeitamente. Como sempre, os fios ficam soltos, mas essa é a grande graça.

Curiosidades:

  • O livro vai virar uma série de TV produzida por Steven Spielberg ainda este ano.
  • O manuscrito original do livro pesou 8.6 kg. Eita!

Não deixem da participar da entrevista coma  autora de fantasia Ana Lúcia Merege! Envie uma pergunta e concorra a um marcador! Clique aqui para participar.

 

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

8 Responses to “Sob a Redoma [Under the Dome]”

  1. Karen Alvares

    Ai Mel, tu sabe o quanto eu amo o King, mas é exatamente isso que você falou que é a única coisa que eu não gosto dele: às vezes ele enrola demais! Aff…
    Mas enfim, eu estou curiosíssima para ler Sob a Redoma. E tua resenha foi impecável! De parabéns, como sempre.

    Responder
    • Melissa de Sá

      Pois é, ele enrola mesmo. E não é porque somos fãs de alguma coisa ou de alguém que não vemos defeito, né? Teve alguns momentos durante a leitura do livro que eu pensei comigo mesma: “Por que estou lendo isso? Isso NÃO é relevante pra história” ou mesmo “Mas não precisa dar TANTOS detalhes assim da vida diária de fulano…”.

      Eu acho que você vai gostar muito desse livro, apesar desses detalhes. Que bom que gostou da resenha! 🙂

      Responder
  2. Olá, Melissa! Também adorei a resenha e concordo com vc e a Karen, tio Steve tem uma certa tendência para a enrolação, sem contar os finais bizarros. Mas eu adoro ele mesmo assim rsrsrs Eu gostei muito de Sob a Redoma, mas fiquei decepcionada com a origem da redoma, sei lá, esperava outra explicação. Mas enfim, é um livro que vale a pena.

    Responder
    • Melissa de Sá

      Cassy,

      Sobre a origem da redoma: eu fiquei inicialmente meio confusa, depois com um certo medinho (okay, eu sou medrosa pra caramba). Eu achei a explicação um tanto estranha no começo, mas depois eu entendi que ele queria falar era da maldade humana mesmo e como crianças são capazes dessa maldade também. Aí, pensando nisso, eu meio que fiz as pazes com a explicação da redoma.

      Responder
  3. Camila - Leitora Compulsiva

    Oi, Mel!!
    Parabéns pela resenha!
    Já estava com saudades de comentar por aqui!
    Quando vi esse livro na Cultura, confesso que o tamanho dele me assustou. Não consigo pensar em parar tudo o que estou lendo para encaixar um livro desse tamanho no meio! Vou acabar atrasando demais as minhas leituras!
    Além disso, ainda tenho As Crônicas de Gelo e Fogo na frente!! hehe
    Beijos
    Camis – leitora Compulsiva

    Responder
    • Melissa de Sá

      Camis,

      Também tava com saudade de te ver por aqui.
      Então, o tamanho desse livro é monstruoso mesmo. Eu confesso que só animei porque ganhei de presente e porque era do Stephen King, se não… Minha lista de leitura ficou mega atrasada.
      Pois é, As Crônicas de Fogo e Gelo acabam tendo prioridade mesmo (até pela curiosidade que a gente tem já que todo mundo comentada tanto) e são uns verdadeiros tijolos cada livro dessa série!
      Qualquer coisa, assiste a série de TV que vai sair. 🙂
      bjs

      Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>