Especial Dia dos Namorados: Ron e Hermione

Há quem critique a presença de romance nos livros de fantasia, mas não podemos negar que um casal bem desenvolvido dá aquele desespero charme a qualquer história. Leitores rapidamente elegem seus casais favoritos, se apegam a eles e torcem para que dê tudo certo no final. Às vezes nossas expectativas são satisfeitas, às vezes temos um final trágico ou somos surpreendidos, mas o sentimento de acompanhar um casal é inigualável: é como se eles fossem velhos amigos nossos.

Pois é assim que eu me sinto toda vez que alguém fala de Ron e Hermione: como se eles fossem meus amigos. E não estranhem o tom super pessoal desse post, mas é que durante anos e anos, minha vida esteve muito conectada ao destino desses dois personagens tão queridos. De um lado Hermione: certinha, inteligente, responsável, meio irritante. Do outro, Ron: desleixado, leal, companheiro, um tanto quanto que desapercebido. A sabe-tudo e o garoto com a amplitude emocional de uma colher de chá. Tem jeito de não torcer por eles?




Eu me apaixonei por Ron e Hermione no segundo livro da série, Harry Potter e a Câmara Secreta. O jeito que Ron ficou triste quando Hermione foi petrificada, aquele abraço que não aconteceu no final do livro. Hum. Aí tem coisa, foi o que eu pensei. Harry Potter está longe de ser uma série com foco no romance, mas Ron e Hermione sempre foi diversão garantida a cada volume. As brigas, os dramas, as discussões, as piadinhas. É um sorriso no rosto, um tapa na mesa que o leitor dá a cada página. Por que eles não ficam juntos, por queeeeeeeeeeeeee? Mas no fim das contas, essa é a graça desse casal: o tanto que eles demoram para perceber que são feitos um para o outro.

Ah, os olhares trocados… a ansiedade…

É interessante como o relacionamento de Ron e Hermione é pautado na maturidade dos dois. Hermione, obviamente é a primeira a perceber que tem alguma coisa acontecendo, mas é também a primeira a fazer uma grande atitude ridícula: atirar canários no Ron (“Throwing canaries at your friends is not a sign of affection….”). Ron demora a sacar as coisas, mas acaba se tornando um mocinho comportado depois de ler um livro de auto-ajuda. Mas é só quando os dois se posicionam em relação à vida é que ficam juntos: Hermione o perdôa por ter partido e Ron finalmente toma uma atitude política e responsável (avisar os elfos domésticos). Daí vem o tão esperado beijo que é também uma das cenas mais hilárias de toda a série (sempre dizem que o Ron é o alívio cômico da história, mas eu acho o Harry simplesmente obtuso de engraçado).

E os momentos de ódio?

Ron e Hermione entram naquela velha fórmula de que os opostos se atraem. Mas é bonito ver que ao invés do entre-tapas-e-beijos-é-ódio-é-desejo existe também respeito mútuo e amizade. Além de amantes, eles são eternos melhores amigos. E ao contrário do que dizem por aí sobre a Hermione ter se sujeitado a um relacionamento convencional e idiota ao ter se casado com Ron no final da série, eu acho que os dois são super não-convencionais. Ron aceita se casar com uma mulher que é publicamente melhor que ele (que fique claro que estou falando em termos de vida pública vide trabalho e estudos, não de personalidade. Porque o Ron é leal e corajoso, qualidades incríveis) e Hermione envereda numa carreira ótima. Não entendo essa ideia de que casamento é igual é subordinação. Pra mim, Ron e Hermione sempre foi sobre aceitar as diferenças e viver tranquilamente na igualdade. E fala sério, quem é que não imagina Ron cuidando das crianças e Hermione trabalhando no escritório?

Mas tivemos os momentos mais fofos também…

Esse é declaradamente meu casal favorito da fantasia e eu não podia passar esse Dia dos Namorados em falar deles. O beijo entre os dois foi o beijo mais ansiado em todos os livros que já li! Eu já analisei as dinâmicas Ron/Hermione em várias fics ao longo dos anos (sim, eu escrevi muitas fanfics) e posso dizer que nunca me cansei deles. Acho que essa é a receita de um bom casal literário: duas pessoas das quais você não se cansa, porque eles são bastante reais e não um ideal perfeito.

O beijo. Na versão do livro: com elfos domésticos e fendas de basilisco no chão.

E terminando com a citação clássica:

“Uau,você está linda.”

“Sempre o tom de surpresa.”

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Ah, e emendando no tema do casal num clima de Dia dos Namorados:

Caramba, to toda idiota aqui. Rolou uma lágrima. Quem mais?

Ah, e obrigada a todos os grandes amigos que fiz por causa desse casal lindo! (vocês sabem quem são) 🙂


Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

9 Responses to “Especial Dia dos Namorados: Ron e Hermione”

  1. Ana Lúcia Merege

    Eu também curto romance em livros de fantasia (evidente, né?). Aliás, acho que não pode faltar, a não ser quando não cabe MESMO no enredo. Nem que seja entre personagens secundários.

    No caso da série de Rowling, achei muito legal o romance de Harry e Gina ter ficado em segundo plano em relação à trama principal envolvendo Harry, enquanto o relacionamento de Rony e Hermione era mais evidente (e como você diz nada idealizado). Não vou dizer que eles são meus personagens favoritos na série, mas o fato de esse romance existir os tornou mais interessantes.

    Responder
    • Melissa de Sá

      Ana, eu acho que romance, quando bem feito, dá um vigor incrível ao livro. E também acho que é algo que deve estar presente em algum nível. Afinal, a vida tem romance, né? É algo super natural.

      Pois é, eu também gosto de Harry/Gina ser um pano de fundo. Sinceramente, se fosse diferente ia ser piegas demais. Imagina o Harry fazendo juras de amor pra Ginny antes de ir pra batalha? affe… Ron e Hermione deram um colorido à série e mostraram de um jeito muito interessante (e divertido) as diversas etapas de um relacionamento que começa na adolescência e que por isso mesmo é cheio de inseguranças, medos, erros e acertos. Não acho que no final nenhum dos dois saiu diminuído (como acontece em alguns livros YA por aí afora…) mas sim que os dois se fortaleceram e amadureceram para então viver um relacionamento verdadeiro.

      Ah, eu confesso, o Ron é meu favorito da série. 🙂 Sempre foi.

      Responder
  2. Bem, assim como a Ana, eu também acho que é muito bacana que tenha um pouco de romance em livros de fantasia sim, nem que seja entre personagens secundários :). Aliás, eu acho que é mais na fantasia que romances idealizados podem se sair bem (não em um sentido bobão, mas num sentido mais conto-de-fadas, de uma busca amorosa que resiste às agruras, ao tempo, etc.). Tudo tem a ver com o contexto, o clima da história, do mundo… enfim. Eu sou uma fã confessa de romance, né. 😀

    Eu adorava o Rony e a Hermione, tanto como personagens quanto como casal (e eu acho que essa frase tá esquisita). Até hoje gosto muito deles. Confesso que, embora eu amasse o Rony, ele muitas vezes me irritava com sua lerdeza emocional, mas acho um romance muito querido. Fico inconformada quando eu leio por aí que a Hermione se rebaixou ao casar com ele e “aceitar uma vida convencional e idiota” (é, porque com certeza ela perdeu o cérebro e todos os interesses dela ao casar, viu!). Sinceramente, eu acho que quem pensa isso tem uma visão muito pequena e restrita da vida. E eu digo isso até mesmo porque eu adorava o ambiente familiar dos Weasley no Harry Potter! Puxa, eu sempre me sentia em casa quando o Harry ia pra Toca! XD.

    Não posso dizer que Rony e Hermione são meu casal favorito, mas com certeza estão entre os top nas minhas preferências!

    Responder
    • Melissa de Sá

      Liége,

      Mas com idealizado eu pensei mesmo naquele casal que fica cego pros defeitos um do outro e que só vê o aspecto positivo da outra pessoa, chegando àquela ideia de que o outro é perfeito e incrível e bla bla bla. Eu gosto de casais que têm esse quê de “enfrentando tudo e todos juntos”, mas esse tipo nem sempre é idealizado nesse sentido que eu estou falando. Pra mim, casal bom (literário ou não) tem que saber que o outro também é um saco ás vezes, mas que isso não o torna pior. Só uma pessoa normal.

      Também não aguento essas pessoas com essa visão limitada da vida. Pra mim, só prova que elas têm uma opinião muito submissa em relação a uma vida a dois. Como que tudo que a pessoa gostasse antes de estar com outra, passe a não valer mais nada. (okay, agora essa ficou minha frase estranha)

      Eu gosto de Ron e Hermione juntos e separados, apesar de que o Ron é o meu favorito. Confesso que comecei a gostar da Hermione depois de um tempo. hahahaha

      Responder
      • Melissa, eu entendi o sentido que você deu, fui eu que fiquei divagando mesmo XD, e acabei usando o termo idealizado também. Acho que ando pensando muito sobre isso por causa da escrita do segundo livro, e seu post veio a calhar, porque eu também detesto esses casais cegos e que não veem mais nada na vida. Então fico preocupada em não perder a mão e não fazer isso sem querer na minha própria história. E o Rony e a Hermione são um exemplo a ser seguido :D.

        Concordo muito com você nessa questão da vida a dois (hahaha, a frase não ficou estranha não). É uma visão errada mesmo, como se obrigatoriamente um relacionamento envolvesse submissão. Relacionamentos ruins envolvem submissão, e ponto. Os bons e saudáveis não…

        Eu também adoro o Rony, e depois do Snape, ele é meu personagem favorito no Harry Potter. Se bem que eu confesso que é difícil eu não gostar de um personagem no Harry Potter. Só não gosto daqueles que não são para ser gostados mesmo, hehehe!

        Responder
  3. Karen Alvares

    Pow, rolou uma lágrima aqui também! E eu tô ali na seleta lista do “sabem quem são”! *_*
    Ah, Ron e Hermione, eles sempre foram perfeitos um para o outro. As interações dos dois sempre foram intensas e bacanas, não teve nenhuma que fosse chata ou enfadonha. A gente sempre abria um sorriso com eles. E concordo totalmente com você: casamento não é subordinação, quem pensa isso é simplesmente idiota. Os dois tem respeito um pelo outro e, apesar de não falarem disso a série inteira, eles admiram as qualidades um do outro. Eles se complementam. Ah, eles são lindos! E o beijo do livro é muito melhor porque a Hermione toma a iniciativa e o Harry tá por perto sendo um obtuso engraçadíssimo!

    Responder
    • Melissa de Sá

      Awwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwn! Sempre que eu vejo R/H eu lembro de vocês!

      Eu adoro a dinâmica desse casal. E você tem razão, eles nunca cansam. Nem nos momentos de briga, romance, amizade, raiva… Eles são sempre ótimos. E é tão bonito ver como eles amadurecerem a relação.

      Harry é super obtuso! Eu adoro o senso de humor do Harry. Pra mim, ele é o melhor do livro.

      Responder
  4. Gisele Bizarra

    Confesso que com relação a Harry Potter, pequei na leitura. Só li o primeiro livro e há muito tempo. Acabei assistindo alguns dos filmes e neles já pude ver um pouco do caminho percorrido por esses dois, vindo sempre a torcer por eles. Porém, não quis ir além nos filmes enquanto não lesse os livros e… Ainda preciso ler >.<

    Responder
    • Melissa de Sá

      Gisele, não perca tempo e leia os livros. São ótimos e você não vai se arrepender! Ron e Hermione são só mais um dos detalhes deliciosos dessa série. 🙂

      Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>