Especial Harry Potter: Wizard Rock

Mais um post do Especial Harry Potter. Uma iniciativa do Por Essas Páginas com apoio do Livros de Fantasia. Post meu mesmo (Melissa!).

O fandom de Harry Potter sempre foi uma comunidade extremamente criativa. Fanfics enormes escritas por gente que se dedicava horas a criar uma boa história com seus personagens favoritos. Fanarts com desenhos maravilhosos de estilos que iam de mangá a aquarela. Vídeos que iam desde montagens com cenas dos filmes até filmagens de bonecos. Mas em 2002, o fandom de Harry Potter foi varrido por uma outra arte: a música.

O Wizard Rock (ou Wrock) surgiu nos Estados Unidos com Harry and the Potters (há controvérsias e inclusive músicas que surgiram antes, mas é certo que o movimento Wrock começou mesmo com eles). A ideia por trás era bastante simples: fazer músicas com os personagens da série.

Não é meu objetivo aqui fazer uma linha do tempo do Wizard Rock ou contar detalhes do movimento (até porque Melissa Anelli escreveu sobre o assunto extensivamente em seu livro, Harry e seus fãs), mas sim dar uma depoimento mais pessoal, da perspectiva de alguém que viveu essa experiência de uma forma mais tangencial (sempre quis usar essa palavra chique). rs

A maior característica do Wizard Rock é mesmo o “faça você mesmo”. Ou seja, as músicas são todas gravadas em casa, têm poucos instrumentos, pouca ou nenhuma produção. Nada de coisas mirabolantes e mil efeitos, o lance é a simplicidade e a diversão. Música pura e simplesmente. Apesar do nome, Wizard Rock comporta vários gêneros musicais: baladinhas, folk, rock, pop, etc. Mas todos os estilos têm uma característica em comum: fãs apaixonados que não pensavam em ganhar dinheiro com isso, apenas em se divertir. Inclusive, várias bandas de Wizard Rock recusaram gravadoras e faziam shows em nome de causas beneficentes.

A primeira vez que ouvi falar de Wizard Rock na minha vida foi através de um post da Vânia num fórum que eu participava. Ela comentava toda entusiasmada de alguns shows que tinha ido e de algumas músicas bem legais que tinha ouvido sobre Harry Potter. Eu fiquei curiosa e fui procurar. A primeira música Wrock que ouvi na vida foi “Save Ginny Weasley from Dean Thomas” e foi uma das experiências mais legais que já tive. Logo depois baixei o CD completo do Harry and the Potters, The Power of Love, e fiquei ouvindo direto.

O melhor CD de Wizard Rock de todos os tempos.

Veja bem, as músicas são toscas. E essa é a graça. São músicas de fã para fã. Coisa que só quem é fã entende. Como por exemplo que “trhowing canaries at your friends is not a sign of afection” e que “felix felicis makes you feel invencible”. Os títulos já são hilários como “We save Ron’s life, part 8”, “Hermione’s Birds and Boy’s” e “In Which Draco Malfoy cries like a baby”. Pra mim The Power of Love é o melhor CD dos Potters justamente por não querer ser nada mais do que é: um monte de músicas loucas feita por uma dupla de fãs loucos.

Em 2007, com o lançamento do último livro da série, eu decidi que queria saborear Harry Potter um pouco mais e por isso resolvi compor minhas próprias músicas de Wizard Rock. Eu já tinha gravado um cover do Draco and the Malfoys (“Slytherin Pride”) e dado de presente pra Mi, mas nunca tinha me aventurado a fazer algo meu. Então numa tarde, depois de ler Relíquias da Morte, eu peguei o violão e escrevi “My Sweet Teddy Bear”, uma música sobre o prólogo do último livro, do ponto de vista da Victoire Weasley.

Aí eu empolguei e incentivada pelos amigos do fórum que eu participava, fiz outras músicas, todas sobre o último livro da série. “The Forest Again” conta os últimos momentos de Harry antes de morrer, “A Balada do Lobisomem e da Metamorfomaga” (única em português) é uma conversa entre Tonks e Lupin e “The Ballad of Ron and Hermione” fica nos pensamentos de Hermione quando Ron vai embora. Fiz outras músicas que nunca gravei: “Lily” e “Rock Like a Wizard”. Tenho uma ainda que gravei mas até hoje não tive vergonha na cara pra postar no youtube: “Not As Last Resort”.

Wizard Rock é uma parte especial do fandom de Harry Potter, que mostra o quão empolgados fomos somos e o quanto a série significou para nós. Ouvir as músicas é também uma forma de reviver a série e momentos incríveis que passamos ao lado de amigos fãs. Um jeito de reviver sentimentos, de fazer com que Harry Potter seja muito mais que um conjunto de sete livros. Aliás, eu acredito que é isso que todo fã verdadeiro de Harry Potter faz todos os dias: tenta reinventar toda essa experiência, recriá-la de várias formas e vivê-la intensamente para sempre.

Vai aí uma lista das melhores músicas de Wizard Rock (na minha humilde opinião): (os links levam pra vídeos no youtube, em sua maioria)

Vale a pena ouvir, gente! Diversão garantida!

Pra finalizar, uma versão ao vivo de “Luna Luna” com os Harry and the Potters com a Evanna Lynch (sim, a Luna dos filmes) no baixo! Isso foi na Leakycon do ano passado. Só um gostinho de como é o clima do Wizard Rock.

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

4 Responses to “Especial Harry Potter: Wizard Rock”

  1. Eu acho isso um barato, Melissa. Já ouvi algumas das suas músicas e são muito legais (as de Jogos Vorazes também). Eu não conheço muito o Wizard Rock, embora eu goste muito de Harry Potter, mas isso me lembrou que O Senhor dos Anéis também inspirou muitas músicas e bandas. Blind Guardian, uma banda alemã, tem uma álbum inteiro só sobre O Silmarillion, que é o “Nightfall in Middle-Earth”. Fora outras músicas que falam sobre SDA, como Bard’s song. Gosto tanto da banda que cheguei a me bater para Curitiba só para assistir um show deles, e foi ótimo! Só que nem todo muito curte o estilo, né, que é um metal melódico.

    Tá, tá, sei que eu acabei tagarelando sobre outra coisa, mas achei que tinha a ver com o post XD. Histórias e músicas são uma combinação tão perfeita, afinal…

    Responder
    • Melissa de Sá

      Liége, que bom que gostou das minhas músicas! Eu também acho que a combinação música e livros é perfeita. 🙂

      Sim, tem muita banda que faz música baseada em livros. Eu não sabia essa do Blind Guardian, mas sei que o Led Zeppelin, o Rush e a Enya têm muitas músicas baseadas em SdA. Inclusive a famosa The Immigrant Song do Led Zeppelin é baseada na Terra Média.

      Que nada, tem tudo a ver com o post.

      Responder
  2. Ah, que nostalgia esse post, Mel! Eu ouvia muito WRock logo depois do quinto livro, na tua lista de músicas eu incluiria “The Human Housepipe”! Cho Chaaaaaang what have I doneeeeeeeeeeee!!! hahahaha
    Pra mim as melhores bandas eram mesmo Harry and The Potter, Draco and the Malfoys e The Parselmouths. Eu tinha maior identificação por elas porque elas eram sonserinas apaixonadas pelo Harry! hahahahaha =)
    E acredita que eu nunca tinha visto a capa do CD? E não sabia que a Evanna tinha tocado com eles! Ela é a Luna essa garota, só pode!

    Responder
    • Melissa de Sá

      É mesmo, esqueci dessa. Cláaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaassica!

      Eu sempre lembro de você com as Parselmouths. Recentemente comecei a lembrar da Lany porque elas são as Slytherins apaixonadas pelo Lupin. rs

      Eu também não sabia que a Evanna tinha tocado. Descobri hoje na pesquisa que fiz de vídeos pra por no post! Mas eu achei taaaaaaaaaaaaaao legal! O legal é saber que a Evanna nunca deixou de ser fã da série.

      Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>