5 Livros essenciais para conhecer Stephen King

Hoje é aniversário do mestre do terror Stephen King. Para comemorar essa data, listei os 5 livros essenciais para conhecer a obra desse escritor prolífico. Uma boa dica para quem não leu e não sabe por onde começar ou mesmo para os veteranos que querem uma indicação em meio a mundos de livros do autor.

Olha a cara de papai Noel feliz dele… rs

Vamos à nossa lista?

1. O Iluminado

Stephen King é conhecido por seu terror psicológico tanto quanto suas imagens de horror bizarras. Suas personagens costumam ter bastante profundidade e são exploradas à exaustação em suas obras. Eu até costumo dizer que seus livros são mais sobre pessoas passando por situações extremas do que exatamente sobre coisas escabrosas e sinistras. O Iluminado é com certeza um excelente exemplo de terror psicológico.

Publicado em 1977, O Iluminado conta a história da família Torrance que se muda temporariamente para o Colorado, a fim de que o pai, Jack, possa trabalhar de zelador no hotel Overlook durante o inverno. A questão é o que hotel fecha durante o inverno rigoroso e apenas Jack e sua família ficam lá. Coisas macabras já aconteceram nesse hotel: no inverno anterior, o zelador matou a mulher e as duas filhas com um machado. Jack inicialmente acha que vai ficar tudo bem, mas sua raiva contida e seus demônios como alcoolismo e agressividade parecem se intensificar. Apenas Danny, seu filho de 5 anos, parece ser capaz de entender o que o Overlook está fazendo com sua família… e não é algo bonito.

O Iluminado explora a construção do medo e como a mente humana sob sua influência pode chegar à insanidade. Uma obra clássica do terror, sem sombra de dúvida. Tem resenha do livro aqui no blog. Pra quem quer começar a entender Stephen King, esse é um excelente ponto de partida.

 2. Carrie

Uma característica que volta e meia aparece nos livros do King é o fato de apresentar muitas crianças e adolescentes. Mas nada de anjinhos ou mocinhos bonzinhos. King frequentemente nos mostra o quanto crianças e adolescentes podem ser cruéis e manipuladores. Em Carrie (traduzido no Brasil com o título infame de Carrie, a estranha), somos jogados no meio de uma corrente de bullying extremo. A parte mais sombria da adolescência é trabalhada e aliada a um toque sobrenatural; uma pequena cidade pode ser palco de ações aterradoras.

Primeiro livro publicado do King (1974), Carrie é um clássico do terror. Virou um ícone da cultura pop e a cena da garota feia que é convidada para o baile pelo bonitão da escola apenas para ser vítima de uma brincadeira de mal gosto e levar um balde de sangue de porco na cabeça está presente no nosso imaginário e já foi criada e recriada várias vezes no cinema e em séries de TV. Mas Carrie é muito mais que isso. É um livro que entra a fundo na questão do bullying, em como adolescentes não aceitam as diferenças e o quanto as vítimas dessas ações sofrem. A diferença é que Carrie tem poderes paranormais e de tanto sofrer nas mãos de seus colegas e de sua mãe, uma fanática religiosa, sai do controle na noite do baile da escola. E o resultado é perseguição e sangue.

Eu diria que Carrie é, obviamente, um livro um tanto imaturo, mas que já revela várias características do King (terror psicológico, a ideia de que uma cidade pequena tem segredos sinistros). Para leitores jovens, eu recomendaria começar por aqui não só porque o livro é menor (pouco mais que cem páginas) mas também porque é uma boa amostra do que encontramos nas obras de King mais pra frente.

3. À Espera de um Milagre

Para aqueles que pensam que Stephen King se resume ao terror e ao bizarro, esse é um livro para abrir uma outra perspectiva. Com um enfoque grande em personagens e com um tom mais intimista até, À Espera de um Milagre é um experimento do autor com o realismo mágico e apesar de ter passagens violentas e chocantes, é muito mais um livro sobre bondade e amor num mundo cruel e injusto.

À Espera de um Milagre saiu inicialmente como uma série de seis volumes em 1996 que foi mais tarde lançada como volume único. Muita gente a conhece por causa do filme com Tom Hanks (sim, essa história é do Stephen King, acredite se quiser) que tem o mesmo nome. A trama envolve a relação entre Paul Edgecombe, um guarda do corredor da morte, e John Coffey, um prisioneiro negro acusado de estuprar e matar duas garotas brancas. Paul, com o passar do tempo, percebe que John possui poderes extraordinários de cura e que sua natureza dócil e tranquila faz com que seja improvável que ele tenha realmente cometido o crime pelo qual terá que enfrentar a cadeira elétrica. O foco do livro é mesmo nas pessoas que vivem no corredor da morte (tanto os prisioneiros aguardando sua sentença final quanto os guardas); o acerto de contas com o próprio passado, reflexões sobre a vida e a morte, e principalmente, no que consiste justiça verdadeiramente.

Nem preciso dizer que essa é uma história bastante forte, não por conta da violência, mas pelo tema tratado. Entretanto, eu diria que é o livro mais sensível de Stephen King. Mesmo depois de anos de ter lido essa história, frequentemente penso nela, em seus personagens e nas questões apresentadas ali. Quem não gosta de terror e horror, pode ler sem medo.

4. Os Olhos do Dragão

Mais uma vez de rever o conceito senso comum de Stephen King. Os Olhos do Dragão é uma obra de alta fantasia (isso mesmo!) com um tom quase juvenil. Nele, vamos encontrar uma boa dose de magia, lutas do bem contra o mal, magos suspeitos, príncipes herois e moças de coragem. O foco nos personagens, as questões profundas sobre a mente humana e a tensão narrativa estão presentes, mas numa roupagem bem diferente do terror que frequentemente associamos a King.


O livro foi publicado pela primeira vez em 1984 e foi resultado de uma história que King criou especialmente para sua filha, Naomi. O narrador é bastante divertido, fazendo comentários sobre os eventos enquanto apresenta o reino de Delain e seus personagens aos leitores. A trama gira em torno da morte do rei Rolando. O mago da corte, Flagg, consegue ser bem sucedido em responsabilizar o filho mais velho, Pedro, pelo acontecido. Dessa forma, ele coloca o jovem Tomás, de apenas 12 anos, no trono e consegue reinar das sombras. A história engata quando Pedro é encarcerado num obelisco e começa pacientemente a pensar numa fuga inusitada. Os Olhos do Dragão é um livro cheio de reviravoltas deliciosas, uma leitura fluida e tranquila somada a personagens muito cativantes.

Para mim, todo fã de King deveria ler esse livro. Ele é o exemplo em papel de como King consegue criar boas histórias sem apelar para sexo, sangue e morte (algo que seus maiores críticos o acusam). Os Olhos do Dragão é um livro para todas as idades. Tem resenha dele aqui.

5. Sob a redoma

 Tensão e confinamento são temas muito comuns na obra do King, mas em Sob a Redoma, o autor os explorou da melhor forma. Numa clima tenso de não-tem-saída somado a um ambiente apocalíptico, personagens têm que literalmente lutar por suas vidas enquanto caos político e sobrenatural impera numa pequena cidade o Maine. E mais uma vez, o que parecia um lugar tranquilo, revela seus segredos podres embaixo do tapete.

 Sob a Redoma (publicado em 2009) começa com uma manhã tranquila em Chester’s Mill. Mas essa tranquilidade é interrompida quando um campo de força semi-permeável de origem desconhecida isola a cidade do restante do mundo: ninguém entra, ninguém sai. O que acontece? Caos. Enquanto Dale Barbara (ex do exército), Eric (assistente de médico) e Julia (jornalista) tentam lidar com problemas sérios como falta de comida, falta de energia (afinal, não tem energia elétrica mais) e ameaças do exército dos Estados Unidos, o político Big Jim tenta manter o controle da cidade criando uma polícia paralela liderada por seu filho perturbado. O  resultado? Ainda mais caos.

Esse livro pode ser lido como um experimento social. Isolados do restante do mundo, os cidadãos de Chester’s Mill têm que lidar com uma quebra no pacto social: agora, eles vivem uma realidade à parte que pode (ou não) seguir as mesmas regras de antes. Como lidar com crime? O que pode ou não pode ser feito em nome da sobrevivência? Assustador e brilhante, é o que digo. Tem resenha aqui.

Ah, e antes que eu me esqueça…

Tem duas coisas que você precisa saber sobre Stephen King antes de se aventurar em seus livros (se você já leu o autor, é bom lembrar):

1) Ele é prolixo. Muito, muito prolixo. Então seus livros costumam ser enormes e costumam sim dar uma enrolada básica até chegar ao clímax. Em contrapartida, os personagens são sempre muito verossímeis.

2) Ele gosta de finais abertos. Ou seja, no fim muita coisa vai ficar no ar e não-explicada. Não estresse com isso. É o estilo do King.

Feliz aniversário, tio Stevie!

Curioso quanto à vida do nosso King? A Cassy do Dragonmount Books fez um post com a biografia dele ano passado. Vale a pena dar uma lida. É só clicar aqui.


Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

9 Responses to “5 Livros essenciais para conhecer Stephen King”

  1. Ótimo artigo. Tio Stevie merece!!! E muitos anos de vida para esse louco que adoramos rsrs Ah, adorei o detalhe para o modo de escrever dele, pouca gente entende o estilo e acaba vendo como um defeito.

    Responder
    • Melissa de Sá

      Obrigada, Cassy!

      Pois é, eu não entendo esse povo que fica lendo King e reclamando livro atrás de livro. Caramba, tem 4 décadas que o estilo dele é isso e tá na cara que não vai mudar. Se não gosta, não leia. É a lógica dele. Eu, particularmente, adoro os finais abertos! 🙂

      Responder
  2. Mel, que lista brilhante! Você captou realmente o essencial do King e cinco exemplos de livros bem diferentes dele. Incrível. A única coisa que eu incluiria como bônus seria um conto, para o leitor conhecer o King contista – que eu acho mais assustador.
    Sabe que eu não li ainda Olhos do Dragão justamente por ser tão diferente? Mas eu preciso ler. E eu to assistindo à série Sob a Redoma, tá bem interessante.
    Eu entendo perfeitamente porque você não mencionou a Torre Negra. Mas que dá dó não falar dela, dá.

    Responder
    • Melissa de Sá

      Kakazinha,

      Que bom que consegui. A intenção foi mesmo fazer uma síntese das características dele. Eu confesso que conheço muito pouco do King contista, na verdade devo ter lido só um ou dois contos dele. Um dos motivos é justamente por eles serem tão mais assustadores que os livros.

      Os Olhos do Dragão é uma coisa especial. É diferente, mas tem aquele jeito do King, sabe? Acho que você vai gostar.

      Pois é. Eu AMO A Torre Negra, mas acho que pra apreciar melhor essa série, temos que ter mais conhecimento do mundo do King. É mais legal pra fazer conexões e tudo mais. Eu não recomendaria esse livro como uma primeira leitura do autor não. E deu dó sim, meu coração meio que ficou partido quando cheguei no 5 e vi que não dava pra por a Torre…

      Responder
  3. Ok, eu preciso ler algo do King logo. Eu pressinto que vou gostar, sabe? Eu gosto de autores prolixos.

    Gostei das suas dicas também no post de A Coisa, Melissa. Eu também evito muito coisas que lidem com violência física extrema e principalmente tortura. Não aguento terror que lide com isso. Agora, terror que puxa mais para o lado do psicológico é interessante. Sobrenatural também me atrai.

    Acho que vou começar com O Iluminado, hohohoho!

    E fico impressionada com a versatilidade do Stephen King. À espera de um milagre é bem lindo :´(

    Responder
    • Melissa de Sá

      Liége, acho que você vai gostar sim. Porque apesar desse lance de terror/horror, o King desenvolve seus personagens muito bem.

      Eu sou que nem você: não gosto de violência e tortura. Tanto que quando fico interessada num livro do King, vou logo procurar saber se é terror psicológico ou não. Se é, eu leio tranquilo. Se não, não passo nem perto. Eu recomendaria pra você “Duma key”. É um terror psicológico ótimo e a história dá medo sem torturas e outros horrores.

      Comece O Iluminado sim!!!!

      À Esperada de um Milagre é de cortar o coração. Nossa, eu assisti esse filme na escola, quando estava na sexta série. Chorei demais no final do filme, tanto que todo mundo da sala ficou me zoando. Mas a história é daquelas que cala fundo na gente. É a história de um homem bom num mundo cruel. Bem forte.

      Responder
      • Puxa, Melissa, muito obrigada pelas dicas! Outro dia, por coincidência peguei Duma Key na mão, na livraria aqui de Londrina, e fiquei tentada a comprar! Acho que foi premonição XD!

        Eu também chorei muito quando assisti À Espera de um milagre. É bem isso que você disse: a história de um homem bom num mundo cruel. Olha, ainda bem que eu assisti em casa. Realmente é de estraçalhar o coração.

        Agora, outro filme lindo demais que eu acabo de descobrir que foi baseado em uma história do Stephen King é “Um sonho de liberdade”. Puxa, essa é outra história maravilhosa e que toca a gente. Não sabia que era dele :O

        Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>