A Borboleta

Título: A Borboleta

Autor: Liége Báccaro Toledo

Ano de Publicação: 2013

País de Origem: Brasil

Editora: independente – 22 páginas (ebook)

Com o lançamento de O Círculo dos Sete, segundo volume da trilogia O Enigma da Lua, nada mais acertado que resenhar um conto que se passa no mesmo universo da série, “A Borboleta”. Nele, Liége Báccaro Toledo (nossa querida colunista) vai nos levar mais uma vez para o mundo de Edrim, mas para um passado mítico, antes dos acontecimentos da série principal. Assim, o leitor conhece as origens da Dama da Borboleta, uma personagem folclórica de Edrim, mas que tem raízes reais e sua história, inclusive, tem importância crucial em acontecimentos que vão desembocar em O Enigma da Lua.

O que eu mais gosto na série da Liége é justamente o mundo de Edrim. Pra mim, a autora conseguiu criar um mundo de alta fantasia realmente diferenciado, com uma mitologia diferente e interessante. “A Borboleta” é, de certa forma, um retorno às origens mais mitológicas de Edrim. O conto, inclusive, começa com o momento “gênesis” dessa terra. Temos uma explicação muito bem escrita (pra mim, foi a melhor parte do conto) da criação do universo, dos Deuses e mundos, dentre eles, Edrim, e de como uma Deusa em especial tornou-se “patrona” dele. Não, Edrim não é o mundo perfeito, pelo contrário, é o resto do resto da criação, e é isso que o torna tão diferente e especial pra mim.

A história do conto propriamente dita começa logo depois dessa parte, com a humana Katriana fugindo com a filha nos braços. A criança é meio-elfo, o que no mundo de Edrim merece um destaque considerável (não vou contar pra não estragar a leitura). Katriana sabe que irão matar sua filha e tenta atravessar um rio com ela. Sinceramente, Liége me arrancou algumas lágrimas nessa parte com o monólogo de Katriana. Não costumo citar partes de livros em resenhas, mas essa merece:


Deusa, por que nos fizeste tão frágeis? Por que não me proveu de garras e dentes e asas para defender minha cria, como fizeste aos animais e criaturas que vivem nas florestas? Por que não me fizeste nascer uma criatura monstruosa, pois eu teria preferido! Teria eu preferido , pois assim ninguém teria se aproximado de nós, ninguém teria apagado a luz de nossas vidas. As sombras fortalecem aquelas que as seguem. E a luz nos tornou belos e cheios de alegria, mas somos frágeis como a chama de uma vela. Oh, Deusa, quisera eu ser uma mãe fera! Quisera eu ter nascido uma besta.

Dá pra perceber o que vai acontecer com a mãe e a filha, né?

“A Borboleta” é um conto sobre a filha, Lyriel. Como a maioria dos textos da Liége, existe um foco forte no romance e Lyriel terá sim uma história de amor para contar. Mas a narrativa não é exatamente sobre isso a meu ver, mas sim sobre o relacionamento mãe e filha. A presença de Katriana na vida de Lyriel é intensa, de diversas formas (e eu não vou contar de novo pra não dar spoiler) e é essa presença que vai comandar os acontecimentos, inclusive na transformação de Lyriel na misteriosa Dama da Borboleta, a mulher-guerreira que não fala com ninguém que habita as histórias folclóricas de Edrim, sempre vista na companhia de uma borboleta azul.

O conto possui cenas de romance, ação, até um toque de drama. Tem luta e até um dragão. Minha ressalva é em relação ao ritmo da narrativa. Senti que, às vezes, alguns acontecimentos foram rápidos demais e outros muito devagar. Senti falta de um ritmo constante que pudesse transmitir a angústia de Katriana ao guardar sua filha Lyriel. “A Borboleta” é um conto muito bom, mas poderia ter sido excelente se tivesse sido trabalhado de uma forma um pouco mais dinâmica. A forma de narrar, pra mim, assim como o ritmo narrativo, tem que estar atrelada ao mote da história, ajuda a ditar as regras. Liége conseguiu fazer isso de uma forma excelente em “O Espelho”, conto presente em Excalibur (que inclusive, está no meu top 3 favoritos do livro), mas em “A Borboleta” a coisa ficou mais solta. Isso não tira o brilho de algumas passagens, nem a emoção de outras, no entanto. Eu é que sou uma leitora muito pentelha.

Eu diria que esse conto é mais especial para quem já leu O Enigma da Lua: A Centésima Vida (primeiro volume da série). As referências cruzados são uma delícia de perceber. E o conto tem um caráter bem derivado de O Enigma da Lua, como se fosse um prefácio à série. Inclusive, talvez venha daí a questão do ritmo narrativo que mencionei. As histórias são bem atreladas uma à outra.

Se eu recomendo? Com certeza! O conto é muito bom e mostra como Liége tem domínio e conhecimento acerca do mundo que criou.

O conto está à venda na Amazon.com.br por apenas R$1,99, um preço mais do que módico se pensarmos na qualidade do texto. E falando em qualidade, a ilustração de capa da Ângela Takagui é de morrer! Linda demais! Clique aqui para comprar o ebook. Se alguém está pensando numa leitura boa pro fim de semana ou pro próximo feriado, pode apostar nessa. É rápida e você pode ler onde quiser: no computador, tablet, e-reader, até no celular!

E não se esqueçam que o O Círculo dos Sete já foi lançado! Se você ainda não leu O Enigma da Lua, leia já! O livro também está à venda lá na Amazon.com.br. Clique aqui para comprar. Os dois volumes também possuem uma  versão impressa. Clique aqui para a versão impressa. Para mais informações da série, acessem o site oficial, O Enigma da Lua.

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

8 Responses to “A Borboleta”

  1. GAAAAAAHAAHAHAHA!!!! RESENHA DE A BORBOLETA DA MELISSA!! COMO ESPEREI POR ESSE MOMENTO!

    (Respira e controla a euforia)

    Que resenha maravilhosa, Melissa! Puxa vida, foi uma boa surpresa de fim de domingo (e todos precisam de um ânimo a mais no fim do domingo).

    Que leitora pentelha que nada! Eu gosto de poder contar com análises detalhadas, isso é muito importante! Essa questão do ritmo é uma coisa essencial, e é interessante porque tenho bastante dificuldade de controlar isso nas histórias que envolvem O Enigma da Lua! Parece que eu me deixo levar mais, e ora tenho medo de enrolar muito ou correr muito. É muito difícil para mim perceber onde falta desenvolvimento e onde deixei lento demais. Isso é algo para se prestar atenção e melhorar, pois senti essa dificuldade em O Círculo dos Sete.

    Enfim, mas eu fico muito feliz que você tenha gostado e que o começo tenha te emocionado *_* (quase morri quando você disse que não colocava trechos na resenha mas essa merecia), Melissa. Nossa, muito feliz mesmo. Esse conto foi especial para mim, tenho um carinho grande por ele. Achei muito bacana essa sua percepção da questão mãe e filha. E todos esses relacionamentos do conto vão ter desdobramentos no segundo e terceiro livros da série, com certeza. Em O Círculo dos Sete essa história começa a aparecer, mas no terceiro ela vai ser crucial :).

    Vou parar de tagarelar aqui. Muito obrigada, Melissa! Vou divulgar a resenha lá no blog também!! GAAAAAH!!!

    Responder
    • Melissa de Sá

      Ah que bom que gostou! Li esse conto durante meus intervalos de dissertação e foi muito bom mergulhar em Edrim de novo. E esse conto em mesmo uma aura especial, dá pra ver que você trabalhou com carinho nele. 🙂

      Eu entendo totalmente esse seu sentimento de se deixar levar. Eu tenho um livro de distopia pronto e sei que tenho que trabalhar mais nele porque algumas partes estão fora de ritmo. Mas quando a gente se envolve demais num mundo, não conseguimos nos controlar… é muita empolgação. Se deixar, sai 600 páginas. hahahahaha Daí a importância dos revisores/leitores críticos.

      Tem mais desdobramentos desse conto? Huuuuuuuuuuuuuuum. Fiquei curiosa. Minha meta é poder ler “O Círculo dos Sete” depois do Natal, quando tiver pelo menos com metade do capítulo 3 pronto.

      Responder
  2. Só mais uma coisa: O Espelho no seu top 3 favoritos de Excalibur, GAAAAAAAAAH!! (Corre pela casa em círculos e só para quando bate a cabeça em algo).

    Responder
  3. Edrim Albert S.Melo

    Oque vcs estão falando de mim ae..kkkk
    Ops..
    Olá, tudo bem???
    Sou Edrim
    Quero saber mais sobre a obra literária de vcs.. Vamos nos falar pelo watts 94991036346 quero iniciar meu primeiro livro e preciso de uma dicas.. E já que falam tanto de mim em um livro aí…kkkkk
    Aguardo resposta…

    Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>