Outras Mídias: A Bela e a Fera

A indústria do cinema descobriu uma nova mina de ouro: fazer filmes com adaptações de contos de fadas! Depois da onda dos super-heróis, temos agora vários projetos com essa temática como Alice no País das Maravilhas, Branca de Neve e o Caçador e Malévola. Agora é a vez do cinema francês com seu A Bela e a Fera. Um filme bonito visualmente, mas que peca num roteiro cheio de buracos.

Título: A Bela e a Fera

Título Original: La Belle et La Bete

Direção: Christophe Gans

País de Origem: França e Alemanha

Ano: 2014

Duração: 1h54min

Assisti o filme com minha mãe e minha irmã depois de passar um bom tempo sem ir ao cinema. A escolha do filme foi feita por elas, então eu não sabia absolutamente nada sobre essa adaptação, muito menos o que esperar dela, o que é sempre uma experiência interessante.

A Bela e a Fera é uma produção francesa estrelada por Léa Seydoux (sim, a super talentosa de Azul é a cor mais quente) e Vincent Cassel. Como Bela, Léa se sai bastante bem (ignorem a dublagem horrorosa da Paola Oliveira). O filme dá um ar de Lolita à personagem, que é inocente, mas tem um quê de sensualidade latente. Em relação à Cassel, ele está praticamente irreconhecível como Fera (atrás de maquiagem e efeitos especiais), mas não rouba a cena.
O filme obviamente disvirtua bastante do clássico da Disney que conhecemos. Primeiramente, Bela tem 5 irmãos. Por que tanto irmão e pra quê eles existem? Vai saber. Só um deles realmente tem uma função na história, o resto só criou personagens completamente inúteis no filme. A Fera habita um castelo nos arredores da propriedade que Bela mora com sua família, que depois da falência se isolou no campo. É o pai de Bela quem vai parar nesse lugar sobrenatural depois de se perder numa tempestade. Depois que ele tenta roubar uma rosa do jardim e levar para sua filha mais amada, Bela, a Fera o pune com uma sentença de morte.
Com tanta violência e tensão no começo, é estranho o fato dos protagonistas se apaixonarem tão de repente.

Bela decide ir para o castelo no lugar do pai, disposta a morrer por ele. A Fera, no entanto, se encanta com a beleza da moça e decide que ela deveria viver. Uma atração começa entre os dois. E aí está o maior buraco do filme: Bela e Fera ficam juntos no final, isso é óbvio. Mas no roteiro não há qualquer indício de que eles se apaixonaram. Do nada é amor eterno. Não há na tela qualquer cena romântica ou indicativa de romance entre eles. Pelo contrário. A Fera é dentendora de uma agressividade absurda e as cenas em que ele exige o amor de Bela mais parecem uma ameaça física e verbal. Bela começa a ter pena da Fera, mas pena não é amor. Engolir que os dois têm um amor que vai além da vida só porque dançaram juntos uma única vez é demais.

Algumas pessoas na internet se incomodaram um pouco com o background completamente diferentes que deram para a história da Fera. Isso foi o que menos me incomodou no filme, apesar de algumas incongruências (por que raios a filha do Deus da Floresta iria se casar com um homem mesquinho que só pensa em caçar e torturar animais por diversão?). Acredito que essa escolha tenha sido feita para possibilitar mais cenas de ação, além de maior empatia entre a Fera e o espectador.

O filme se perde na questão do amor, no entanto, mais preocupado com cenários e locações impecáveis. Por isso digo que A Bela e a Fera é bonito, não no sentido de roteiro romântico inesquecível, mas na ambientação, figurino e atuações impecáveis. A parte mais importante, o amor da Bela e da Fera, fica tão em segundo plano que nem acontece.

E tem promoção rolando no blog: os dois últimos exemplares da série Academia de Vampiros! Clique aqui para participar!

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

2 Responses to “Outras Mídias: A Bela e a Fera”

  1. Aline Ramos Costa

    Oi Melissa, tudo bom??? Depois qu aisti a versão deles de A Bela Adormecida (TRASH TOTAL) , fiquei com um”pé atrás” com esse filme..E pelo visto, realmente nãov ou gostar dele…O que mais amo nesse clásscio da Disney é o amor entre Bela e Fera..vê-lo crescer, a sensibilidade de fera…e saber que isso praticamente não existe me desanimou completamente…
    Gostei muito de sua “resenha” sobre o filme…ficou ótima…

    bjs e fique com Deus

    Responder
    • Melissa de Sá

      Aline, realmente o filme desanima bastante. Não tem nada daquela sensibilidade que vai sendo desenvolvida aos poucos a Fera… Tudo acontece do nada e o romance realmente não convence. Uma pena.

      Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>