O Teste

Um mundo pós-apocalíptico destruído por uma guerra sem nome, adolescentes sendo colocados em situações extremas e um sistema político questionável. Lembrou de Jogos Vorazes? Pois pode mudar de ideia. O Teste é uma narrativa única.

Título: O Teste

Título original: The Testing

Autor: Joelle Chabornneau

Ano de publicação: 2014

País de origem: Estados Unidos

Editora: Única –320 páginas

Se você é daqueles que acha que distopias já deram o que tinham que dar, você precisa rever os seus conceitos.

Cia é da pequena e remota colônia de Cinco Lagos, um dos poucos recantos do mundo onde os humanos conseguiram cultivar para morar após uma guerra devastadora. Logo de cara, acompanhamos Cia no dia de sua formatura, um dia importantíssimo para ela: é nele que Cia saberá se foi escolhida para O Teste.

Somente os melhores da turma são escolhidos e a expectativa é alta: aqueles que forem para O Teste poderão cursar a Universidade e se tornar líderes da nação em reconstrução. Cia se esforçou a vida inteira para esse momento.

A especialidade de Cia é engenharia, mas ela domina também outras áreas como matemática e biologia. Ela se esforçou durante toda a sua vida escolar para ser a melhor, ser escolhida para O Teste e representar a pequena colônia de Cinco Lagos na Universidade.

Mas o que é esse Teste afinal? Aí que está. Ninguém sabe. O pai de Cia já foi para a Universidade, mas nunca comenta nada sobre o Teste nem sobre seus anos de estudo. Mesmo assim Cia quer ir e quando ela é aceita, seu pai revela uma verdade assustadora: ele não tem lembranças de seu Teste. Sua memória foi apagada. Tudo que ele tem agora são pesadelos horríveis onde seus companheiros morrem.

Não, isso não foi spoiler, acontece nos primeiros capítulos. E se você acha que O Teste caminha para mais uma distopia da menina que aprende a lutar, você está enganado. Cia é uma personagem única, nada de Tris, nada de Katniss. Ela abandona Cinco Lagos em direção ao desconhecido, ao perigo e à morte.

Sim, porque o Teste é brutal. E eu fiquei impressionada quando o livro começou a ficar cruel e sombrio. Joelle Charbonneau não dó de seus leitores nem de seus personagens e nesse livro tudo pode acontecer. Eu não conseguia desgrudar os olhos das páginas. Eu lia de madrugada, no ônibus, no intervalo do trabalho…

A narrativa em primeira pessoa no presente cria mesmo essa sensação de imediatismo, mas Cia como protagonista também fisga o leitor com sua inteligência, generosidade e força de vontade (sem cair no cliché). O cenário distópico é extremamente bem construído. Em poucas páginas o leitor já consegue entender o funcionamento daquele mundo e se situar nele. O que é sempre sinal de um universo maduro e bem desenvolvido.

O Teste foi uma aquisição minha na Bienal do Livro de São Paulo desse ano e uma dica de leitura da Karen Alvares. E que dica! Recomendadíssimo. O Teste tem ação, suspense, tensão e até uma pitada de romance.

A trilogia continua com Estudo Independente e A Formatura.

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

4 Responses to “O Teste”

  1. Netto Baggins

    Quando vi esse livro fiquei pouco interessado, achei que era só mais um tentando pegar carona no sucesso de Jogos Vorazes, mas depois de ler a resenha do Por Essas Páginas e agora a sua, vou dar uma chance!

    Responder
    • Melissa de Sá

      Netto, o livro é bastante diferente de Jogos Vorazes, apesar de compartilhar uma ideia parecida na superfície. Dê uma chance e depois volte aqui para nos contar o que achou. 🙂

      Responder
  2. Parece bem interessante. Só de você não ter dito que Cia está dividida entre dois rapazes, o livro já ganhou vantagem comigo 🙂

    Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>