Por que A Esperança Parte 1 é o filme que todo fã sempre quis?

Pessoas, é Carnaval, uma ótima oportunidade de rever filmes e tudo mais. Eu, que estou há 21 dias sem internet desde que mudei de cidade, estou aproveitando o feriado para atualizar o blog. Vamo que vamo.

Assisti A Esperança duas vezes no cinema e quando sair o DVD quero assistir muitas mais. De todos os filmes da franquia Jogos Vorazes, esse foi o que mais me arrebatou. Com atuações marcantes, um roteiro bem escrito e uma montagem que reflete toda a atmosfera de sofrimento com cenas longas e muitos closes, A Esperança Parte 1 é simplesmente o filme que todo fã sempre quis.

 a esperança

Quer saber por que?

Quando ficamos sabendo que um dos nossos livros favoritos vai virar filme ou série de TV, sempre bate aquele frio na barriga. O que será que vão fazer com nossos personagens queridos? Será que o roteiro vai conseguir transmitir aquilo que sentimos ao ler o livro? Como serão os atores? E a pergunta mais angustiante: o que ficará de fora?

Eu passei por essa experiência várias vezes. Vi a série Harry Potter ser adaptada (e mutilada) durante quase uma década. Vi O Senhor dos Anéis ganhar as telas de cinema causando a ira e a adoração de uma legião de fãs. Eu diria que hoje sou muito mais tranquila em relação a adaptações. Consigo entender que são coisas diferentes, mídias diferentes, mas esse entendimento não me faz necessariamente gostar de tudo que vejo.

É fácil se perder numa adaptação. Peter Jackson, por exemplo, fez um excelente trabalho em O Senhor dos Aneis, mas perdeu a mão totalmente em O Hobbit. Amanhecer Parte 1 é um filme bonito visualmente, mas perde o ritmo num roteiro em que nada acontece. Ninguém aguenta mais ver Wolverine como protagonista da franquia X-Men. Todos os fãs têm algo a reclamar sobre a adaptação de algum livrou ou quadrinho, mas algo parece ser unânime ultimamente: nenhum fã fala mal de A Esperança.

Como pode?

Jennifer Lawrence. Apenas.

Começando com uma cena de loucura na qual Jennifer Lawrence mostra todo o seu talento, o filme entra numa espiral de cenas sombrias, tensas e emocionais. Mesmo que haja diferenças cruciais entre livro e filme, tudo o que um fã aprecia está lá: Katniss sendo manipulada, Presidente Coin sendo rude e fria, Presidente Snow sendo desprezível, Gale sendo chato (okay, eu detesto o Gale, minha gente) e Heavensbee sendo um marketeiro de alto calibre.

Eu consegui sentir em A Esperança Parte 1 filme tudo que senti lendo a primeira parte de A Esperança livro: desespero, ansiedade, tristeza. Inclusive, acredito que o filme ainda soma ao livro nos trazendo uma versão cantada de The Hanging Tree” que arranca nossos corações pra fora do peito. Quem diria que Jennifer Lawrence interpretaria uma música tão bem?

O filme correu o risco de cair no melodrama, mas conseguiu sair dele com elegância por conta de atuações viscerais não só de Jennifer Lawrence, mas também Josh Hutcherson (Peeta), Donald Sutherland (Presidente Snow) e Philip Seymour Hoffman. Isso sem falar em como Julienne Moore encarnou a presidente Coin. Era só ela estar em cena, não precisava falar nada. Dava arrepios.

Duas grandes atrizes dividindo a cena.

Até mesmo com o excesso de cena de corpos mutilados, guerra e revolução, o filme saiu por cima. A Esperança conseguiu fazer cada uma dessas cenas ter um efeito diferente, o que evitou com que o filme caísse na mesmice ou tornasse a violência algo banal. O efeito foi o contrário: a cada uma dessas cenas violentas, os fãs se encolhiam nas cadeiras de cinema.

Eu digo os fãs, sim, porque foi exatamente para eles que o filme foi feito. Vejo críticas negativas na internet e fora dela a respeito de A Esperança Parte 1 e noto que quem critica o filme são justamente aqueles que acompanham a série somente nas telonas. É quem não faz parte da base de fãs ou sequer leu os livros.

A grande crítica feita A Esperança por esse grupo é ao fato de o filme longo demais, que nada acontece. Por que, afinal, dividir o final em duas partes?

Essa crítica já foi feita a outras franquias que dividiram seu capítulo final como Harry Potter e Crepúsculo, mas acredito que a grande diferença entre esses e A Esperança reside na qualidade dos diálogos e das atuações. Enquanto Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1 tinha atuações medíocres (salvando, talvez, Emma Watson como Hermione) e Amanhecer Parte 1 descaradamente enrolava nas cenas românticas em slow motion com fundo musical teen, A Esperança Parte 1 apresentou bons atores, bons argumentos, bons diálogos. Pode ter sido longo, mas foi um longo de qualidade.

Sofrimento.

E isso fez diferença para os fãs que não encontram um defeito no filme.

A Esperança certamente foi feito com cuidado, pensando justamente naqueles que tiveram seus personagens favoritos preservados e mudanças de roteiro coerentes. Não há explicação mal feita ou ação apressada. Tudo está lá. Da ingenuidade de Katniss até a loucura de Peeta passando pela frieza tanto de Coin quanto de Snow.

Depois de dois filmes anteriores muito bons, A Esperança Parte 1 atingiu realmente a excelência. Agora nós fãs ficamos com frio na barriga de novo. A Parte 2 chega em novembro desse ano. Conseguirão os diretores/roteiristas/produtores manter o padrão alto? Ou teremos uma decepção?

Enquanto isso, só nos resta assistir de novo e de novo.

Título: A Esperança Parte 1

 

Título Original: Mockingjay Part 1

 

Direção: Francis Lawrence

 

País de Origem: Estados Unidos

 

Ano: 2014

 

Duração: 123min

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

4 Responses to “Por que A Esperança Parte 1 é o filme que todo fã sempre quis?”

  1. Netto Baggins

    Que texto lindo Melissa! Ainda não vi o filme (infelizmente), mas acredito que tudo o que vc colocou seja verdade. Engraçado que quem reclama que o filme ficou longo e que nada acontece, é mesmo tipo de gente que critica blockbusters por não desenvolverem os personagens adequadamente e com profundidade. Quando um faz isso (caso de THG), reclamam. Vai entender.

    Responder
  2. Oi, Mel.
    Já estava com saudades!!
    E olha só que coincidência… Recebi hoje um e-mail sobre o lançamento desse filme em DVD e Blu-Ray! hehehe
    Gosto muito dessa série e esse filme foi um primor de adaptação.
    Meu marido não leu os livros, mas também gostou bastante do filme!
    Beijos
    Camis

    Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>