Dois Lados, Duas Vidas

Título: Dois Lados, Duas Vidas
Autor: Karen Alvares
Ano de publicação: 2015
País de Origem: Brasil
Editora: Cata-vento
Número de páginas: 51

Toda história tem dois lados. Para entendermos melhor o que aconteceu, precisamos que todas as partes sejam ouvidas. E é isso que Dois Lados, Duas Vidas faz: nos leva a entender os motivos dos personagens principais de Alameda dos Pesadelos em dois contos bastante intensos. Para nos fazer entender que não existe preto ou branco. A vida é cinza e nós também.

Alameda dos Pesadelos é o primeiro romance de Karen Alvares (tem resenha do livro aqui). Um suspense com seus toques de terror, o livro foi muito bem aceito na blogosfera literária e foi elogiado por ser uma trama sensível e intensa.

Nessa história conhecemos Vívian e Gabriel, duas vidas entrelaçadas em meio a rancor, ressentimento e ódio. Vívian culpa Gabriel pela desgraça de sua vida e vice-versa. O livro inclusive começa com Vívian desesperada, tentando proteger o filho pequeno e o pai, de uma perseguição sinistra feita por Gabriel.

Mas como foi que isso tudo começou? O que há por trás disso tudo? Alameda dos Pesdelos já nos faz questionar se Vívian é mesmo vítima e Gabriel é mesmo algoz, mas em Dois Lados, Duas Vidas finalmente podemos entrar na lógica deses personagens e entender quem eles realmente são.

No primeiro conto, “Do outro lado”, conhecemos uma Vívian jovem. Num fim de semana ela e seu namorado Joshua vão passar o dia na praia. Vemos então um pouco mais do homem que Vívian chamou de amor durante toda a sua vida e entendemos mais do fim trágico desse relacionamento. Mas o mais interessante é ver que Vívian sempre teve uma propensão ao apego, ao rancor, mesmo jovem, mesmo antes dos acontecimentos de Alameda dos Pesadelos. O conto começa leve, juvenil, e termina devastador.

Já em “Deste lado” temos como protagonista Gabriel. Visto por Vívian como um homem mau e inescrupulosol, aqui temos seu lado mais humano. Além de um flashback importante sobre seu relacionamento com Vívian anteriormente, temos um Gabriel perdido, com medo e desesperado à procura de qualquer coisa para aplacar sua dor. Mesmo que seja um pacto com um ser sinistro.

Não falo mais para não dar spoilers, mas o livro é altamente recomendado, principalmente para quem leu e gostou de Alameda dos Pesadelos. Se você não leu ainda, não perca tempo! Compre os dois já agora e alegre seu feriado.

Alameda dos Pesadelos: R$34,90 (físico no site da editora) // R$14,90 (ebook na Amazon)

Dois Lados, Duas Vidas: R$19,90 (físico no site da editora) // R$6,90 (ebook na Amazon)

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

5 Responses to “Dois Lados, Duas Vidas”

    • Camis, “Alameda dos Pesadelos” é bem tranquilo. Tem umas cenas mais tensas de perseguição e drama psicológico, mas o importante mesmo são os personagens. Eu acho que você ia a gostar. Não dá medo não. A Karen escreve todos os gêneros. Só “Horror em Gotas” que é, como o próprio nome diz, mais pesado.
      bjs

      Responder
      • Awn, Camila, eu vou ficar mega ultra super feliz se você ler Alameda dos Pesadelos e Dois Lados, Duas Vidas. <3 E, de fato, o que a Mel disse é totalmente verdade, porque é basicamente a mesma visão que todas as pessoas que leram tem. Tem um toque de terror, mas é mais uma história sobre erros, culpa, perdão. Tem mais resenhas no site, se quiser conhecer outras visões do livro: https://alamedadospesadelos.wordpress.com/
        Beijos e espero ansiosa sua leitura, moça! <3

        Responder
  1. Ai Meeeeeeeeeel que resenha linda, maravilhosa e cheirosa! <3 <3 <3
    Adorei tanto, tanto, tanto" *abraça você e a resenha juntas*
    Sabe, quando eu vejo as pessoas falando que o livro apresenta os dois lados, que a Vívian não é tão vítima e o Gabriel não é tanto algoz, eu fico pensando que, além dessa história ter surpreendido os leitores, ela também me surpreendeu. Eu comecei o livro cheia de raiva do Gabriel e brigando com ele, mas aí ele foi se escrevendo sozinho e me contando uma história e, quando percebi, eu estava com pena do Gabriel… Hoje eu gosto dele. Ele é só um cara triste, que amou demais, de um jeito estranho, e em troca foi muito mal amado e sofreu demais por isso. E, no fundo, é o que todas as pessoas "ruins" são: tristes e sem amor.
    E, na minha visão, Alameda dos Pesadelos pode ter a Vívian como protagonista, mas na verdade é a história de Vívian e Gabriel, ambos são igualmente importantes.

    Responder
    • Kakazinha,

      Pra mim Gabriel nunca foi um vilão horrível. Eu tenho pena dele, sabe. Isso, é óbvio, não tira a responsabilidade das coisas horríveis que ele fez, mas ele é um antagonista com motivos e acho que como leitora consegui me simpatizar com ele sim em alguns momentos. E sim, ele e Vívian são os dois protagonistas do livro. Sem dúvida.

      Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>