Neon Azul

Sabe aqueles inferninhos na cidade que têm seu quê de mistério? Quem é que nunca imaginou o que há por trás daquelas portas e por que gente tão diferente continua indo lá? Teria alguns desses lugares alguma espécie de atração sobrenatural que compele seus frequentadores a continuarem indo? Pois bem, Neon Azul é sobre isso. E sobre um pouco mais.

Título: Neon Azul

Autora: Eric Novello

Ano de publicação: 2010

País de Origem: Brasil

Editora: Draco – 160 páginas

 Numa escrita fluida e cativante, Eric Novello nos leva para essa boate sombria e hipnótica, o Neon Azul.


Primeiro é preciso dizer que Neon Azul é um romance fix up. Mas que diabos é um romance fix up?

Em inglês, fix up tem vários significados, dentre eles “reparar”, “colocar em ordem” ou mesmo “rearranjar”. Na literatura, um romance fix up é aquele que normalmente começou como histórias ou contos independentes e depois foi arranjado em forma de romance. Ou seja, são pequenas histórias que partilham um mesmo arco narrativo, mas que ainda conservam seus clímaxes e encerramentos próprios (existe um debate sobre o que é fix up e o que é short story cycle, mas estou sendo teórica demais rs).

Em Neon Azul, o que une todas as histórias é o próprio lugar, o Neon Azul, uma boate que exerce fascínio sobre seus funcionários e frequentadores. Um lugar onde coisas estranhas e extraordinárias – e horríveis – acontecem. Em cada história acompanhamos personagens que às vezes se encontram – e depois se desencontram – em suas buscas por prazer e fuga. Ao todo o leitor vai encontrar dez histórias nesse ambiente urbano de luz baixa.

Leia também: Resenha de Fantasias Urbanas // Como ler um conto?

Vale dizer que quando comprei o ebook de Neon Azul para ler no celular – sim, eu compro antologias, contos e fix ups pra poder ler no ponto de ônibus e em filas de espera -, eu esperava um bom livro. Mas logo nas primeiras linhas percebi que seria uma leitura excelente. E foi. Eric Novello nos faz sentir o cheiro daquela boate, sentir o gosto do drink misterioso preparado por seu barman e ouvir o som dos passos de Armando, Dita, Gabriela, Lucas, Murilo e tantos outros personagens dessa história.

É sempre difícil fazer uma resenha justa para um livro que gostamos muito e acho que essa não vai ser diferente. Neon Azul é uma fantasia urbana, sim, coisas estranhas, sobrenaturais, acontecem nessa boate cujo dono, o Homem, sempre escondido sob seu chapéu, faz ofertas impossíveis em troca do improvável. Mas é também uma ótima discussão sobre nós humanos e nossos desejos mais sombrios. E se existisse um lugar em que eles pudessem se tornar mais fortes, mais paupáveis? Será que resistiríamos à tentação? E pior, o que estar tão perto dessa “energia do desejo” faria conosco?

Meus contos favoritos foram “Noites de insônia” e “A última nota”. No primeiro, ficamos mais perto do gerente do Neon Azul, Armando, um homem que nunca dorme. Uma vida assombrada vivida em dobro. Essa história me arrepiou e confesso que penso nela antes de dormir. A segunda fala sobre um pianista que vai trabalhar na boate e desenvolve uma estranha relação com seu piano. No Neon, ele consegue dar o melhor de si, mas a um estranho preço. E eu também fico pensando nessa (cheguei até a discutir longamente o assunto com meu marido no skype, rs): como seria ser o melhor artista que você pode ser? Isso realmente não enlouqueceria?

Esses foram os que me deixaram reflexiva, mas não se engane, todos os contos são excelentes.

Mas Melissa, o livro tem final?

Não do jeito que estamos acostumados. Como um romance fix up, Neon Azul não segue uma trajetória linear. Os personagens se cruzam e cabe a nós, leitores, dar significado para suas experiências. Então já aviso que se você é daqueles que gosta de finais felizes onde tudo é explicado talvez esse livro não seja pra você. Ou talvez você só precise tentar algo novo com um novo olhar!

Literatura nacional de qualidade altíssima. Mais que recomendado! E com certeza lerei mais livros do Eric Novello.

Onde comprar:

Amazon | Apple |Kobo | Cultura | Google |Saraiva

Melissa é escritora, blogueira e fica hiperativa com açúcar. Tem contos publicados em antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento além de trabalhos independentes na Amazon. É autora do livro infantil A Última Tourada.

http://mundomel.com.br

 

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>